Conheça mais sobre as peças da exposição de média duração “Café, patrimônio cultural do Brasil: ciência, história e arte” e entenda a importância de cada uma para a história do café.

Aparelho de Telex

1977
Metal e plástico

O Telex foi um sistema internacional de comunicação por curtas mensagens impressas. Consistia numa rede mundial com um plano de endereçamento numérico, com terminais únicos que enviavam uma mensagem para qualquer outro terminal. Devido à capacidade de receber as mensagens de imediato e com autentificação dos terminais, seu uso prevaleceu até o final do século XX.

A empresa Olivetti foi criada por Camillo Olivetti na Itália em 1908, inicialmente produzindo máquinas de escrever. Na década de 1920, sob o comando do filho de Camillo, Adriano, a empresa expande e diversifica sua atuação, fortalecendo a identidade de sua marca. O modelo TE 315 foi lançado em 1977.

O objeto pertenceu ao Instituto Brasileiro do Café – o I.B.C – autarquia reguladora do produto. O acervo dessa instituição, extinta em 1989, ficou à cargo do Ministério da Agricultura, e foi parcialmente alocado no Armazém Carapicuíba em Barueri, SP. O objeto foi incorporado em 2005 ao acervo do Museu do Café.

Telex Device
1977
Metal and Plastic

Telex was an international communication system by short printed messages. It was a worldwide network with a numerical address plan with single terminals that sent a message to any other terminal. Due to its capacity of immediately receiving the messages and of terminal authentication, this device was used until the end of the twentieth century.
The Olivetti Company was created by Camilo Olivetti in Italy on 1908, initially manufacturing typewriters. On the decade of 1920, the company expanded and diversified its operation under the command of Camilo’s son, Adriano, who enhanced the brand identity. The model TE 315 was released on 1977.
The object was owned by the Brazilian Coffee Institute – IBC – regulatory agency of the product. The collection of this institution, terminated on 1989, was in charge of the Ministry of Agriculture, and was partially stored on Carapicuíba Storage on Baruerí, State of São Paulo. This equipment integrated the collection of Museu do Café on 2005

Latas de amostra

s/d.
Metal

Recipiente para o acondicionamento de amostras de 300g de um determinado lote de café. As latas eram levadas às firmas exportadoras pelos corretores de café para classificação e ofertas de compra. Podem possuir uma inscrição ou impressão na tampa com o nome da empresa a qual pertence, e uma etiqueta na lateral com informações sobre o lote, como a quantidade de sacas que representam.

Este objeto pertenceu à Companhia Comercio & Industria de Armazéns Gerais, atuante em Santos e Paranaguá. Os Armazéns Gerais, além de guardarem o café dos produtores, também ofereciam o serviço de rebeneficiamento e formação de ligas com diferentes cafés. Eram responsáveis, ainda, pela emissão do “warrant”, documento que comprovava o depósito do café no armazém e que era utilizado pelos clientes para buscarem financiamento junto aos bancos.

O objeto foi doado pela Associação Comercial de Santos ao Museu do Café em 2003.

Sample Cans
w/o date.
Metal

Containers to store samples of 300g of a certain coffee batch. The cans were taken to the exporting companies by the coffee dealers for classification and for purchase offers. They could have a lettering or printing on their covers with the name of the owner company and a side label containing information about the batch, such as the quantity of bags.
This object was owned by Companhia Comercio & Industria de Armazéns Gerais, operating on Santos and Paranaguá. Aside from storing the producers’ coffee, Armazéns Gerais also offered the reprocessing and bounding formation services with different types of coffee. They were also responsible for the emission of the warranty, a document ascertaining the coffee beans storage on the warehouse that was used by the clients seeking bank financing.
The equipment was donated by Associação Comercial de Santos to Museu do Café on 2003

Mesa de Prova

c.1952
Metal e granito

A prova de xícara, ou prova da bebida, é uma etapa da classificação do café para determinar a qualidade do produto, recebendo uma graduação que vai de “estritamente mole”, a mais alta, até a “rio zona”, a mais baixa. A mesa de prova é a peça central de um conjunto de objetos necessários para a avaliação feita pelos classificadores de café.

Seu tampão circular de granito é móvel, de modo que os profissionais possam girá-lo para provar os diferentes cafés dispostos nos recipientes de vidro, agilizando seu trabalho. Possui um suporte de metal, também móvel, que geralmente é utilizado para acondicionar recipientes com água para limpar o paladar dos provadores.

O objeto pertenceu ao Instituto Brasileiro do Café (IBC), autarquia reguladora do produto. O acervo dessa instituição, extinta em 1989, ficou à cargo do Ministério da Agricultura, e foi parcialmente alocado no Armazém Carapicuíba em Barueri, SP. O objeto foi incorporado em 2005 ao acervo do Museu do Café.

Coffee Cupping Table
c.1952
Metal and granite

The coffee cupping, or coffee tasting, is a step of the coffee classification that determines the quality of the product, which is graded from “strictly soft” (the highest) to “River Zone” (the lowest). The cupping table is the main piece of a set of objects needed to the evaluation made by the coffee tasters.
Its circular granite cover can be turned to allow the professionals to taste the different coffee types on the glass containers and to speed up the work. It has a metal movable support that is generally used to put water glasses to clean the tasters’ palate.
The object was owned by the Brazilian Coffee Institute (IBC), regulatory agency of the product. The collection of this institution, terminated on 1989, was in charge of the Ministry of Agriculture, and was partially stored on Carapicuíba Storage on Baruerí, State of São Paulo. This equipment integrated the collection of Museu do Café on 2005

Colher de prova

Déc.1950
Aço inox e prata

A prova de xícara, ou prova da bebida, é uma etapa da classificação do café para determinar a qualidade do produto, recebendo uma graduação que vai de “estritamente mole”, a mais alta, até a “rio zona”, a mais baixa. A colher de prova integra um conjunto de objetos necessários para a avaliação feita pelos classificadores de café.

O classificador sorve a bebida com a colher, depois de sentir seu aroma, e a cospe em uma cuspideira. Normalmente essas colheres são banhadas em prata para não alterar o sabor do café a ser classificado.

A colher, doada ao Museu do Café por Eduardo Carvalhaes Jr, em 2004, era utilizada no laboratório de classificação do escritório Carvalhaes, tradicionais corretores de café de Santos.

Tasting spoon
Decade of 1950
Stainless steel and silver

The coffee cupping, or coffee tasting, is a step of the coffee classification that determines the quality of the product, which is graded from “strictly soft” (the highest) to “River Zone” (the lowest). The tasting spoon is part of a set of objects needed to the evaluation made by the coffee tasters.
After smelling the coffee, the classifier taste it using the spoon, then split it out on a spittoon. Normally, those spoons are bathed on silver so as to avoid altering the taste of the coffee to be classified.
The spoon was donated to Museu do Café by Eduardo Carvalhaes Jr. on 2004. It was used on the classification laboratory of Carvalhaes office, traditional coffee dealers established on Santos.

Conjunto de Recipientes

Usado na classificação da bebida. Coloca-se nele o pó do café, seguido por água fervida na chaleira

Déc.1940
Vidro
Acervo Museu do Café

Feitos de vidro, os recipientes são utilizados na etapa da prova de xícara, ou prova da bebida. Trata-se de uma etapa da classificação do café para determinar a qualidade do produto, recebendo uma graduação que vai de “estritamente mole”, a mais alta, até a “rio zona”, a mais baixa. Diferente do método de preparo para consumo, a água quente é despejada diretamente sobre o café moído no recipiente, sem uso de filtro.

Os objetos pertenceram à Associação Comercial de Santos e foram doados ao Museu do Café no ano de 2001.

Set of tasting cups
Decade of 1940
Glass

The cups are made of glass, and are used on the coffee cupping, or coffee tasting step.
It is a step of the coffee classification that determines the quality of the product, which is graded from “strictly soft” (the highest) to “River Zone” (the lowest).
Unlike on the consumption preparation method, the boiling water is poured directly on the grinded coffee to the container, without using filters.
The objects were owned by Associação Comercial de Santos and were donated to Museu do Café on 2001.

Cuspideira

c.2000
Aço Inox

A prova de xícara, ou prova da bebida, é uma etapa da classificação do café para determinar a qualidade do produto, recebendo uma graduação que vai de “estritamente mole”, a mais alta, até a “rio zona”, a mais baixa. A cuspideira integra um conjunto de objetos necessários para a avaliação feita pelos classificadores de café. O classificador sorve a bebida com uma colher, depois de sentir seu aroma, e a cospe em uma cuspideira.

O objeto foi doado ao Museu do Café por Manoel Teixeira Ogando, em 2004.

Spittoon
c.2000
Stainless Steel

The coffee cupping, or coffee tasting, is a step of the coffee classification that determines the quality of the product, which is graded from “strictly soft” (the highest) to “River Zone” (the lowest). The spittoon is part of a set of objects needed to the evaluation made by the coffee tasters. After smelling the coffee, the classifier taste it using the spoon, then split it out on a spittoon.
The equipment was donated to Museu do Café on 2005 by Manoel Teixeira Ogando.

Gamela

s/d.
Madeira

A gamela é um recipiente em madeira utilizado para transportar alimentos ou grãos em pequena quantidade. No armazém de café era utilizada no ensaque a mão. O café era despejado no local determinado e batia-se a pá de modo a formar montes e misturar os diferentes cafés. Seguia-se com o enchimento das sacas utilizando a gamela e sua pesagem na balança romana. As sacas, então, eram costuradas e realocadas no armazém. Todas etapas eram realizadas por ensacadores, que podiam ser fixos do armazém, ou contratados por demanda por meio de seu sindicato.

O objeto, confeccionado pela Escobar S.A, foi doado ao Museu do Café por Alcides Yonuguthi em 2004.

Gamela
w/o date.
Wood

The gamela is a wooden container used to transport small quantities of food or grains. In the coffee warehouse, it was used on the manual bagging. The coffee was put in the determined location and arranged with the shovel in order to form mounds and mix the different types of coffee. Then, the bags were filled by means of the trough and weighted on the Roman scales. The bags were sewed and reallocated on the warehouse. All steps were performed by baggers that could be employed by the warehouse or hired by means of the syndicate because of the demand.
The object was manufactured by Escobar S.A. and donated for Museu do Café by Alcides Yonuguthi on 2004.

Furador de Sacas

s/d.
Madeira e metal

Os Armazéns Gerais, além de guardarem o café dos produtores, também ofereciam o serviço de rebeneficiamento e formação de ligas com diferentes cafés. Eram responsáveis, ainda, pela emissão do “warrant”, documento que comprovava o depósito do café no armazém e que era utilizado pelos clientes para buscarem financiamento junto aos bancos.

Toda saca, quando entrava no armazém, era furada por um ensacador para se obter uma amostra e determinar o tamanho do grão, por peneira, o que geralmente determinava seu lugar no armazém. O furador podia ser utilizado posteriormente sempre que mais amostras fossem solicitadas. Seu formato cônico e vazado possibilita que a saca seja furada com pouco dano a sua trama e evite uma maior evasão dos grãos pelo buraco.

O objeto foi doado ao Museu do Café por Sérgio Ricardo Lopes dos Reis, em 2004.

Coffee Sack Puncher
w/o date.
Wood and Metal

Aside from storing the producers’ coffee, Armazéns Gerais also offered the reprocessing and bounding formation services with different types of coffee. They were also responsible for the emission of the warranty, a document ascertaining the coffee beans storage on the warehouse that was used by the clients seeking bank financing.
Once they entered the warehouse, the bags were drilled by a bagger to get a sample and determine the size of the grain by means of a sieve. The size determined the place of the bags on the warehouse. The coffee sack puncher could be used afterwards whenever more samples were required. Its conical and hollowed shape allowed the bag to be drilled without harming the weave, thus avoiding a greater grains leakage by the hole.
The equipment was donated to Museu do Café on 2004 by Sérgio Ricardo Lopes dos Reis.

Balança Romana

c.1958
Metal e madeira

Balança de metal utilizada para pesar as sacas de café. A pesagem era feita com a saca de café em um dos pratos de madeira, e pesos de 20kg no outro. Uma saca de café deve pesar 60kg, ou seja, 3 pesos de 20kg. Era usada, em geral, em armazéns por ensacadores após a montagem de novas ligas de café ou para conferência do peso da saca.

Foi fabricado pela Técnica Industrial Oswaldo Filizola, empresa fundada em 1958, em São Paulo, pelo engenheiro Oswaldo Filizola.

O objeto pertenceu ao Instituto Brasileiro do Café – o I.B.C – autarquia reguladora do produto. O acervo dessa instituição, extinta em 1989, ficou à cargo do Ministério da Agricultura, e foi parcialmente alocado no Armazém Carapicuíba em Barueri, SP. O objeto foi doado ao Museu do Café em 2005.

Roman Scale
c.1958
Metal and wood

Metal scale used to weight the coffee bags. The weighting process was performed putting the coffee bag in one of the wooden plates and 20kg weights in the other plate. One coffee bag should weight 60kg, i.e. three weights of 20kg. It was generally used on warehouses by baggers after the assemble of new coffee connections or to check the bag weight.
It was manufactured by Técnica Industrial Oswaldo Filizola, a company founded on 1958 in the State of São Paulo by the engineer Oswaldo Filizola.
The object was owned by the Brazilian Coffee Institute – IBC – regulatory agency of the product. The collection of this institution, terminated on 1989, was in charge of the Ministry of Agriculture, and was partially stored on Carapicuíba Storage on Baruerí, State of São Paulo. The equipment was donated to Museu do Café on 2005.

Máquina de Costura

1956
Metal e madeira

As máquinas de costura eram utilizadas para consertar os rasgos feitos pelo furador e demais avarias nas sacas de café. A sacaria nova geralmente era restrita ao café a ser exportado, enquanto nos demais usos preferia-se sacas de 2° e 3° viagem, ou seja, reutilizadas. A costura das sacas era um trabalho tipicamente feminino.

A empresa Cirdar foi estabelecida em 1923 por Nobuyoshi Nakajima, em Tóquio, produzindo máquinas de impressão. Em 1931 iniciou a produção e venda de máquinas de costura de pequeno porte. Após a Segunda Guerra Mundial, período em que a empresa se dedicou a fabricação de munições e componentes miliares, a Cirdar volta a se dedicar às máquinas de costura, produzindo em larga escala na década de 1950.

O objeto faz parte do conjunto que pertenceu ao Instituto Brasileiro do Café – o I.B.C – e foi doado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ao Museu do Café, em 2005.

Sewing Machine
1956
Metal and wood

The sewing machines were used to fix the holes made by the driller and other damages on the coffee bags. Usually, the new bags were used only for exported coffee beans; thus, the other ones were put on reused bags. Bag sewing was a typically feminine work.
Cirdar company was established on 1923 by Nobuyoshi Nakajima, in Tokio, producing printing machines. On 1931, the company started manufacturing and selling small-sized sewing machines. After the Second World War, a period in which the company dedicated itself on manufacturing munitions and military components, Cirdar rededicated itself to the sewing machines, manufacturing them on wide scale on the decade of 1950.
The equipment is part of the set that was owned by Brazilian Coffee Institute – IBC – and was donated by the Ministry of Agriculture, Livestock and Food Supply on 2005.